Morar fora! Está preparado?

Muitas pessoas quando vão fazer um intercâmbio se preocupam em escolher qual o país em que gostariam de morar, qual curso irão estudar, os documentos necessários para o processo do visto e quanto dinheiro terão. Sim, essas questões são importantes. Porém a essencial de todas é: eu estou mesmo preparado para fazer um intercâmbio agora?

Antes de começar a pesquisar os itens mencionados acima, as pessoas que pretendem fazer um intercâmbio deveriam analisar certas variáveis externas (Olhar Externo) bem como certas características pessoais (Olhar Interno) que vão interferir diretamente no sucesso ou insucesso do seu intercâmbio. Vejamos aqui algumas dessas variáveis:

1) Olhar externo:

  • Cultura:
    Morar em um outro lugar do mundo não é uma tarefa simples. Você irá enfrentar diferenças culturais que vão desde a maneira como as pessoas se relacionam, como vivem no dia a dia, hábitos domésticos, hábitos sociais, etc. Por exemplo, se você está acostumado a chegar abraçando e beijando todo mundo, calma, terá que cuidar disso: a maioria dos países não tem esse nosso costume brasileiro e vão achar você uma pessoa muito pegajosa e invasiva.

  • Lingua:
    É importante estar consciente de que terá dificuldades com relação à lingua. Pode parecer que você até sabe um pouco de inglês mas, ao chegar ao novo país, você perceberá que entenderá pouco, ou quase nada, quando um nativo vier conversar com você. No seu dia a dia você encontrará pessoas de diferentes partes do mundo com pronúncias das mais variadas. É comum que nós, brasileiros que mudamos para a Australia, tenhamos dificuldades com a lingua no início, porque em geral estudamos Inglês com professores brasileiros ou Americanos, os quais têm a pronúncia bastante diferente dos australianos.

  • Clima:
    É importante se informar sobre o clima e as estacões do ano, do país que você irá escolher. Por exemplo, se você não gosta de frio, e costuma ficar deprimido com a falta de sol, melhor você não escolher países como Irlanda, Canadá, Dinamarca, Escócia, etc.

  • Comparação:
    Saia do Brasil com a disposição interior de que saiu mesmo. Já ouviu aquela frase : “ você tira o menino do interior mas o interior não sai do menino”? Isto quer dizer que quando se sai mesmo, se deixa para trás as coisas e costumes do Brasil. Querer viver em outro país do mesmo jeito que você vivia na sua cidade brasileira, não funciona. Ficar fazendo comparações também não ajuda. É preciso se desapegar da velha “bagagem” para absorver e assimilar o novo. Venha com o seu “bagageiro” vazio, só assim você vai conseguir desfrutar e adquirir uma nova bagagem cultural.

  • Realidade Local:
    É muito importante pesquisar e entender a realidade do local onde você pretende morar. Pesquise sobre a disponibilidade de transporte público, supermercados, lojas, farmácias, restaurantes etc. Preste atenção na distância entre a sua futura casa e a estação do trem, o ponto do ônibus e as outras facilidades. Imagine-se fazendo esse caminho num dia de chuva e logo você saberá se esse lugar é bom ou não para você. Para quem vem com a família é importante pesquisar primeiro onde estão as melhores escolas para as crianças. E só depois decidir por um bairro próximo para morar.

  • Regras e politicas:
    Você precisa esquecer o “jeitinho brasileiro” de fazer as coisas. O hábito que muitos têm de “querer levar vantagem” em tudo o que fazem é muito mal visto em países onde as
    coisas são tomadas mais a sério. Os cidadãos locais esperam que você respeite os costumes e as leis locais, como eles respeitam. E isso não é brincadeira e pode lhe custar caro. Aqui na Austrália você poderá ser multado por simplesmente atravessar a rua, com o sinal fechado. Ou perder sua carteira de motorista (e até ir preso) por ter sido apanhado dirigindo bêbado.

2) Olhar interno:

  • Personalidade:
    Se você é uma pessoa resistente, que tem dificuldade de aceitar comportamentos diferentes dos seus, pense bem antes de fazer um intercâmbio já que você ,querendo ou não, é quem terá que se adaptar a nova cultura local, e não o contrário.

  • Espírito esportivo:
    Você costuma ficar muito tenso se as coisas saem do seu controle? Fazer um intercâmbio é assinar um atestado de que você não terá controle sobre tudo o que poderá acontecer. É lógico que muita coisa depende de suas escolhas, mas nem tudo sairá conforme a sua vontade ou necessidade. Você terá que achar uma maneira de passar por isso sem se tornar uma pessoa que só reclama, ou mesmo que se isola e sofre sozinho.

  • Compartilhe:
    Você precisa ser uma pessoa que não liga de compartilhar suas coisas, seu quarto, casa, cozinha, banheiro até às vezes, até a sua comida. Definitivamente o intercâmbio não é para pessoas egoístas que pensam somente em si. É preciso estar aberto a ajudar outras pessoas, bem como permitir ser ajudado.

  • Respeito:
    Saber respeitar o espaço do outro e entender seus hábitos irá facilitar sua convivência. Fique atento aos costumes de outras culturas e não queira que todo mundo pense e aja como você.

  • Desapego:
    Toda pessoa que se dispõe a fazer um intercâmbio precisa carregar na mala uma palavra mágica: desprendimento. Você sentirá muito a falta de sua família e amigos, e até mesmo das suas coisas pessoais, mas tem que aprender a viver com isso, pensando sempre que é uma fase que um dia vai acabar. Se não o seu intercâmbio pode terminar antes do tempo previsto.

  • Esforço:
    Conhece a expressão “pau pra toda obra”? Então… você precisa ter essa disponibilidade para fazer qualquer tipo de trabalho que seja necessário, desde as tarefas diárias de casa, como lavar, cozinhar, limpar o banheiro, e até aprender uma nova atividade que nunca fez antes. Desde que seja um trabalho honesto e que você haja com profissionalismo, você será respeitado. E essa nova experiência será muito válida para sua vida, acredite!

Talvez você agora ainda não tenha todos os requisitos que citamos, porém se estiver aberto a aceitar essas mudanças, ótimo!! O sucesso do seu intercâmbio já estará parcialmente garantido e isso dependerá somente de você e das suas decisões.

Por outro lado, se tudo o que foi dito não fizer sentido para você, ou se não consegue se adaptar ao novo país e à cultura local, não se obrigue a ficar infeliz em um lugar que não combine com você, porque não é exatamente o que sonhava ou o que foi vendido para você. Simplesmente encontre uma forma de voltar para casa e não se cobre por isso. Você já foi corajoso o suficiente para tomar essa decisão de voltar.

Uma coisa é certa: depois da experiência de um intercâmbio, você nunca mais será a mesma pessoa.

Comentários